Notícias sobre logística

Newsletter #16 Alta de preço na construção civil, inovação e investimento

Preços disparam na construção civil

Materias estão mais caros no momento em que o setor esperava uma retomada, o que põe contratos em risco

08 de setembro de 2020

Empresários à frente de construtoras e concreteiras apontam altas abusivas praticadas por seus fornecedores. No momento em que o segmento esperava uma retomada significativa dos negócios, os custos inesperados de produção inviabilizam contratos.

Pesquisa da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) aponta que os materiais estão mais caros em todo o Brasil. O cimento e o aço, por exemplo, sofreram reajuste médio de 10% na própria indústria.

Mas empreendedores citam aumento no preço de fios e cabos, que dobraram de preço em agosto, depois de cinco meses de estabilidade. Do milheiro de tijolos ao material hidráulico, dos pisos aos blocos, houve reajustes em todos os segmentos.

De acordo com dirigentes do Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção), o aumento de preços surpreendeu o segmento, que não parou de produzir.

O setor da construção vem demostrando sinal de recuperação e é fundamental que toda a cadeia, incluindo o setor de materiais de construção, colabore para a manutenção dessa recuperação e do aumento do emprego e da renda.

Quando a pandemia começou, houve uma queda no número de empreendimentos e o segmento optou por não manter estoques enormes. Agora, quando todo mundo opta por retomar as obras, a procura é enorme e falta produto no mercado.

A construtora não pode repassar os aumentos aos contratos com o consumidor final. Se já havia inadimplência durante a pandemia, naturalmente o cidadão não pode assimilar reajuste nas parcelas. O setor da construção civil é importante e tem reflexo imediato em toda a economia. A prática de preços abusivos é inoportuna porque o Brasil pode deixar escapar a sonhada retomada do crescimento.

Sebrae realiza série de rodadas de negócios virtuais para construção civil e indústria no Paraná

O Sebrae/PR está realizando até o final do ano rodadas de negócios online para estimular parcerias entre empresas dos setores de construção civil e da indústria.A estimativa total é movimentar cerca de R$10 milhões em novos negócios gerados.

Serão realizados 21 encontros virtuais entre empresas das cidades do Paraná nas áreas de construção civil, mercado imobiliário, engenharia e arquitetura, indústria de plásticos, metalmecânica, eletroeletrônico, moveleira, confecção, entre outros segmentos.

Clique aqui para saber mais e participar!

NOTÍCIAS DA SEMANA

Uso da tecnologia na construção civil promete impulsionar a produtividade do setor

A construção civil, assim como todos os segmentos da indústria, vem se adaptando para oferecer tecnologias que ajudem na aceleração de processos e aumento do padrão de qualidade de seus serviços e produtos.

De acordo com a Sinduscon – RS, o crescimento do setor da construção civil pode ser alavancado com o apoio de novas tecnologias. Os aplicativos e softwares são aliados importantes em todos os ciclos do processo construtivo, desde a elaboração do projeto até a execução e finalização no canteiro de obras.

A  modelagem, por exemplo, vem proporcionando um menor número de problemas construtivos, e acarretando em orçamentos mais corretos e sem surpresas.

Pesquisa ECBR: a realidade logística dos pequenos e médios e-commerces brasileiros

A greve dos Correios afetou pequenos e médios e-commerces brasileiros. Segundo pesquisa “Logística Externa” do portal E-Commerce Brasil com 99 lojistas brasileiros, para cerca de 86% desse perfil, os Correios são o principal modal de frete.

Apenas 13 empresas alegam o uso de frota própria. 66% também disseram utilizar transporte terceirizado, como caminhão (55%), carro (25%), motocicleta (14%), avião (4%) e bicicleta (1%).

69% das empresas ainda não contam com sistemas de gerenciamento de transporte a fim de otimizar as entregas. E, sobre indicadores logísticos utilizados pelos pesquisados, alguns ainda não sabem como mensurar os resultados e outros utilizam apenas o SLA (Service Level Agreement) no contrato com a prestadora de serviços.

AUTOMAÇÃO E ECONOMIA NO SEU FRETE

Se, assim como os entrevistados da pesquisa acima, vocë também não sabe como medir a sua operação, talvez seja difícil identificar seus principais gargalos e medir seu nível de serviço.

Uma operação logística ineficaz diminui seus resultados, seja reduzindo clientes ou os deixando insatisfeitos.

Clique aqui e veja como você pode ter indicadores logísticos e garantir o seu serviço!

ESCRITO POR

Mariana Mitsui

Analista de comunicação voltada para redação e revisão, coordenação de assessoria de imprensa e formação de parcerias.