Notícias sobre logística

ANTT publica nova tabela de frete

Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou hoje (18 de julho) a nova tabela de frete por meio da resolução nº 5.849/2019.

O que mudou na tabela de frete?

A nova tabela segue uma nova metodologia de precificação criada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP). A nova tabela de frete contém as seguintes alterações:

  • 11 tipos de carga
  • Consideração dos custos de transporte (depreciação do veículo, mão de obra, tributos e taxas)
  • Cargas fracionadas, calculadas conforme a carga de maior valor a ser transportada
  • Divisão na tabela em 2 perfis de carga: 1- carga lotação, 2- contratação apenas do veículo
  • Multa no valor de R$ 4.975,00 para quem anunciar frete abaixo do piso
  • Contratante de frete abaixo do piso paga multa no valor de duas vezes a diferença entre o valor pago e o piso devido, limitada ao mínimo de R$ 550,00 (quinhentos e cinquenta reais) e ao máximo de R$ 10.500,00 (dez mil e quinhentos reais).
  • Os valores da tabela serão reajustados em até 30 dias quando o valor do diesel oscilar 10% (para mais ou para menos)

Quais são os 11 tipos de carga?

  1. Carga geral: a carga embarcada e transportada com acondicionamento, com marca de identificação e com contagem de unidades;
  2. Carga geral perigosa: carga geral que contenha produto classificado como perigoso para fins de transporte ou represente risco para a saúde de pessoas, para a segurança pública ou para o meio ambiente;
  3. Carga líquida a granel: a carga líquida embarcada e transportada sem acondicionamento, sem marca de identificação e sem contagem de unidades;
  4. Carga líquida perigosa a granel: a carga líquida a granel que seja classificada como perigosa para fins de transporte ou represente risco para a saúde de pessoas, para a segurança pública ou para o meio ambiente.
  5. Carga sólida a granel: a carga sólida embarcada e transportada sem acondicionamento, sem marca de identificação e sem contagem de unidades;
  6. Carga sólida perigosa a granel: a carga sólida a granel que seja classificada como perigosa para fins de transporte ou represente risco para a saúde de pessoas, para a segurança pública ou para o meio ambiente;
  7. Carga frigorificada: a carga que necessita ser refrigerada ou congelada para conservar as qualidades essenciais do produto transportado;
  8. Carga frigorificada perigosa: a carga frigorificada que seja classificada como perigosa para fins de transporte ou represente risco para a saúde de pessoas, para a segurança pública ou para o meio ambiente;
  9. Carga neogranel: a carga formada por conglomerados homogêneos de mercadorias, de carga geral, sem acondicionamento específico cujo volume ou quantidade possibilite o transporte em lotes, em um único embarque;
  10. Carga conteinerizada: a carga embarcada e transportada no interior de contêineres;
  11. Carga conteinerizada perigosa: a carga conteinerizada que seja classificada como perigosa para fins de transporte ou represente risco para a saúde de pessoas, para a segurança pública ou para o meio ambiente.

Como calcular os novos valores de frete?

Para calcular o frete, você precisa considerar:

  • tipo de carga
  • quilometragem da viagem
  • custo de deslocamento (consultar a tabela)
  • custo de carga e descarga (consultar a tabela)

A conta fica: (Distância em KM x Custo de deslocamento) + custo de carga e descarga.No exemplo de uma carga frigorificada em carreta LS com trajeto de 500 quilômetros o valor do frete é:(500 x 4,0339) + 356,74 = 2.373,69

Confira a tabela de frete nova abaixo!

Com a nova resolução foram criadas duas tabelas: 1 - Transporte Rodoviário de Carga Lotação, 2 - Contratação apenas do veículo automotor de cargas

Tabela 1 - Transporte Rodoviário de Carga Lotação

Tabela 2 - Contratação apenas do veículo automotor de cargas

Fontes: Blog do Caminhoneiro, Imprensa Nacional

Quer saber mais? Leia o artigo Entenda tudo sobre a Tabela de Frete da ANTT (atualizado julho 2019)

ESCRITO POR