2850 profissionais de logística usam o software de logística da Fretefy

Saiba mais

Dicas de como fazer cotação de frete de forma eficiente

Blog

/
Dicas de como fazer cotação de frete de forma eficiente
Dicas de como fazer cotação de frete de forma eficiente

Se a logística é um dos pilares da atuação da sua empresa, certamente a cotação de frete faz parte da rotina, contudo, não quer dizer que seja uma tarefa simples.

É necessário levar inúmeros fatores em consideração para que a precificação dos serviços esteja correta, evitando custos surpresas que afetam profundamente a lucratividade do negócio.

A cotação de transporte pode ser realizada de forma manual ou automatizada. Independente de qual seja o caso, neste artigo, você aprenderá a fazer essa cotação e quais os principais fatores que devem ser considerados.

Ficou curioso para essas dicas? Continue lendo e otimize a forma de cotar fretes da sua empresa.

O que é cotação de fretes?

O ato de cotar um transporte de carga é basicamente levar em consideração os inúmeros fatores que impactam no transporte e repassá-lo ao consumidor.

Dentre eles estão:

  • Tipo da carga;
  • Local de origem e destino;
  • Peso e volume;
  • Impostos;
  • Valor aduaneiro;
  • Pedágios; etc.

Como pode ver, são inúmeros fatores que devem ser levados em consideração. Isso faz com que esse seja um aspecto estratégico para qualquer empresa, já que negociação desse valor impacta na rentabilidade dos produtos e no custo da operação.

Sendo assim, continue lendo para compreender mais sobre o assunto, evitando erros que podem gerar gastos inesperados, começando pelo tipo de frete contratado.

Quais são os tipos de frete?

Os tipos de fretes podem ser classificados de três formas, o tipo de contratação, a responsabilidade do frete e as características da carga.

Veja abaixo como cada uma dessas classificações funciona:

Tipo de contratação

Normal

Nessa contratação, a empresa contratada para realizar o frete é a única a realizar o percurso, coletando a mercadoria no local de origem e a levando até o destinatário.

Aqui, não há o envolvimento de empresas terceiras.

Subcontratação

Nesse tipo de serviço, a transportadora contrata uma segunda empresa a fim de realizar a entrega da mercadoria.

Esse é um cenário muito comum quando se tem contratos de longo prazo, mas a solicitação de frete específica está fora da área de cobertura da transportadora.

Assim, para não deixar o cliente na mão, a mesma lida com todas as questões burocráticas para a contratação de uma empresa parceira.

Redespacho

Esse caso é similar ao anterior, a diferença é que a empresa originalmente contratada realiza parte do percurso e o parceiro finaliza, levando até o destinatário.

Ou seja, ambas empresas realizam o transporte, contudo, cada uma faz um trecho diferente. No cenário acima, somente uma realiza todo o trajeto.

Redespacho intermediário

Nesse tipo de contratação, há três empresas envolvidas. A empresa contratada é responsável por realizar o trecho intermediário, ou seja, ela não coleta a carga e nem realiza a entrega final.

Imagine um trecho dividido em três partes, a transportadora realizará necessariamente o do meio.

Responsabilidade do frete

Frete CIF

No frete CIF a responsabilidade do envio da encomenda é do próprio fornecedor. O pagamento ocorre na origem da postagem, que normalmente é repassado para o cliente embutido no custo do produto.

Esse é o tipo padrão para comércios com relação B2C.

Frete FOB

Sendo mais comum em relações B2B, aqui o cliente (destinatário) é responsável pela contratação e pagamento do frete, cuidando de todo o processo logístico.

Normalmente indústrias que contam com muitos fornecedores podem contratar empresas de transporte para realizar a coleta de seus insumos, conseguindo um contrato a longo prazo com valores mais atrativos.

Frete SPOT

O Frete Spot é o tipo de contratação realizada para garantir que o produto chegue ao cliente no menor prazo possível.

Normalmente, essa entrega tem cotações mais altas, contudo, espera-se um grande nível de eficiência, sendo contratada em situações de urgência.

Tipo de carga

Carga fracionada

Nesse tipo de carga, o contratante não ocupa todo o volume do transporte, sendo dividido com outras empresas a fim de ratear o valor do frete.

É o tipo de transporte contratado pela maioria dos e-commerces, por exemplo.

Carga lotação

Aqui a empresa conta com produtos mais volumosos ou pesados capazes de ocupar todo o veículo. Dessa forma, considera-se que a carga está otimizada mesmo que se trate somente de uma mercadoria ou um destinatário.

Outros tipos de cargas

Existem ainda outros tipos de cargas que são menos contratadas:

  • Carga pesada: não preenche o volume máximo, mas chega peso total;
  • Alto valor agregado: cargas de alto valor normalmente requerem veículos especiais ou mesmo escolta;
  • Baixo valor agregado: aqui a logística é chave para que o valor do frete não seja demasiadamente caro, superando até mesmo o do produto.

Agora, você que já compreende os principais tipos de frete, já sabe o que os clientes esperam de uma empresa de transporte. Veja agora os principais fatores na hora de realizar uma cotação.

Quais fatores devem ser considerados no cálculo do frete?

Conheça os principais fatores que influenciam na cotação do frete!

Origem e destino

O local de origem e destino impactam em diversos aspectos do transporte da mercadoria. Os mais óbvios são os gastos com combustível e diária do motorista.

Mas outros custos que ficam mais escondidos são gastos com pneus, dificuldade de acesso em locais por conta de rodízio de placas, impossibilidade de acesso de veículos pesados etc.

Peso e volume

O processo de cubagem (relação entre volume e peso de uma carga) é ideal para identificar a capacidade de carga de um veículo, otimizando ao máximo para não perder de preencher em volume ou peso.

Isso é bastante importante porque influencia na formação da carga, ademais, cargas pesadas também exercem um maior estresse no veículo.

Tipo de carga

A mercadoria precisa de algum tipo de cuidado especial, por exemplo, ser refrigerada?

As características específicas dos produtos transportados precisam ser levadas em consideração.

Impostos e pedágio

É importante estar atento a todos os impostos e taxas cobradas no trajeto. Abaixo, você encontra uma lista dos fixos, contudo, podem existir taxas estaduais e/ou municipais que impactam o valor total:

  • ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços;
  • COFINS: Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social;
  • PIS: Programa de Integração Social.

Gerenciamento de Risco em Transporte Rodoviário de Cargas (GRIS)

O GRIS funciona como se fosse uma taxa que compõe o valor do frete, cobrindo custos específicos como seguro de cargas, investimentos em segurança (rastreamento de veículo, por exemplo), custos operacionais etc.

3 dicas para otimizar o processo de cotação de frete

Agora você já conhece os principais fatores que devem ser levados em consideração para a cotação do frete. Isso não implica dizer que sejam somente esses, sendo necessário ter um levantamento objetivo de todos os gastos envolvidos na operação.

Agora, vamos a algumas dicas para te ajudar nesse processo:

1) Tenha um fluxograma

Deixar todos os passos para a definição de frete estabelecidos é uma forma de evitar erros e acelerar o processo. Confira um framework que pode ser adaptado para a sua empresa:

  • Identificação do perfil de carga;
  • Prazo e quantas entregas;
  • Equipamentos necessários e tempo para carga e descarga;
  • Trajeto e particularidades do mesmo;
  • Custos operacionais.

2) Invista em tecnologias para padronização do processo

Imagine que o colaborador precisa consultar diversas planilhas com taxas e custos para determinar o valor final do frete.

Parece ser um processo cansativo, demorado e passível de diversos erros, não é mesmo?

Portanto, procurar automatizar etapas de consulta é uma ótima forma de poupar tempo e ganhar escala. Afinal de contas, nada pior do que esperar dois dias para dar uma resposta ao cliente sobre o valor do frete, não é mesmo?

Hoje, existem inúmeras tecnologias como o módulo de Auditoria de Fretes da Fretefy que pode te ajudar a ganhar tempo em tarefas corriqueiras como essa e muito mais.

3) Acompanhe os indicadores de desempenho do seu negócio

Questões que podem impactar diretamente no valor do frete estão ligadas ao desempenho dos colaboradores. Um exemplo prático é o tempo de carga e descarga.

Ao acompanhar tudo de perto, é possível identificar gargalos e otimizar processos, possibilitando uma oferta de frete mais competitivo e, consequentemente, atraindo mais clientes.

Ademais, esse tipo de atenção a detalhe também impacta no SLA desejado e na satisfação dos clientes.

4) Foco no planejamento

Não é segredo para nenhuma empresa de logística que o planejamento é foco para processos bem elaborados e que fluem sem problemas.

Sendo assim, é importante que essa ideia esteja profundamente enraizada em todos os gestores, assim, colocando em prática a dica anterior (o acompanhamento de indicadores de desempenho) e de ações de otimização.

Além de questões operacionais práticas, há também o planejamento financeiro para que toda a operação funcione.

Faça sua cotação de frete com o Fretefy

Mais importante do que uma cotação de frete eficiente é saber realizá-la de maneira assertiva evitando custos logísticos desnecessários, com o software Fretefy você torna sua cotação de frete mais eficiente e segura.

Não pare sua leitura por aqui, confira nosso artigo sobre o contrato de frete e entenda como emitir e quais são os impostos envolvidos.  

Última atualização:

3

de

February

de

2022

Deixe seu comentário sobre esse artigo