Notícias sobre logística

Newsletter #17 Tributação do agro, reequilíbrio de contratos e primarização

#17

CNA debate impactos da Reforma Tributária nas cadeias agroindustriais

Propostas em discussão podem aumentar carga tributária no setor

14 de setembro de 2020

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) participou, na quinta (10), de uma live sobre o tema “Reforma tributária e potenciais repercussões nas cadeias agroindustriais”, promovida pelo Instituto Brasileiro de Direito do Agronegócio (IBDA).

A Confederação foi representada pelo coordenador do Núcleo Econômico, Renato Conchon. Ele analisou as três principais propostas que estão em discussão no Congresso Nacional – a PEC 45/2019, a PEC 110/2019 e o PL nº 3887/2020.

Para Conchon, todas elas impactarão o setor agropecuário. Além do aumento da carga tributária, dos custos de produção maiores e do fim da desoneração da cesta básica, existe a preocupação com o efeito de cumulatividade das tributações propostas.

“Somos favoráveis à reforma e não queremos nenhum tipo de benefício em detrimento de outras cadeias. Apenas defendemos um olhar diferenciado para que a competitividade do agro seja mantida em relação aos principais concorrentes internacionais”, disse.

Na opinião da tax manager na Cargill, Debora Sambrana, nenhuma das propostas vai trazer benefícios para o agro. Ela revela preocupação em pontos como a redução do crédito presumido e defende a desoneração para insumos, por exemplo.

“Ajustes são necessários, mas as atuais propostas não atentam na integralidade essas demandas que são importantes para não onerar ainda mais as cadeias agroindustriais”, afirmou.

O professor do IBDA, Fabio Calcini, considera “equivocada” a visão de uma reforma tributária que aumente a carga tributária e prejudique um setor que já enfrenta desafios climáticos, sazonalidade de produtos e fluxo diferente de oferta e demanda.

“O Brasil tem uma vocação voltada para esse segmento. O sistema tributário não pode olhar o agro como os outros setores. Não é questão de privilégio e, sim, de tratamento diferenciado pelas suas peculiaridades”, declarou ele.

O evento contou, ainda, com a participação de outros especialistas da área: o senior associate na Centrec Consulting Group, Antônio Carlos Ortiz; e o co-fundador da Terra do Leite, José Rezende. O moderador foi o professor do IBDA, Mário Shingaki.

CONTRATAÇÃO DURANTE A ALTA NA PRODUÇÃO E GESTÃO DESSAS CARGAS

Se a sua capacidade logística não está acompanhando o escoamento da sua produção, certamente aumentar a sua frota sem vínculos é a melhor saída.

A Captação de Caminhoneiros qualificados, disponíveis e aderentes é só uma das funcionalidades do Fretefy para potencializar a sua logística.

Negocie fretes, distribua cargas e monitore o andamento de todas elas em uma só plataforma, de forma online e integrada.

Clique aqui e saiba mais sobre contratação e gestão de cargas!

NOTÍCIAS DA SEMANA

ANTT dá início a estudos para elaborar metodologia de reequilíbrio de rodovias

A ANTT deu início à primeira fase do processo de consulta para elaborar a metodologia de cálculo do desequilíbrio gerado pela pandemia do novo coronavírus, dando o direito às concessionárias de rodovias e de aeroportos de reequilibrar seus contratos fechados com o governo federal caso tenham sido impactadas pela crise

A primeira rodada de reuniões participativas vai acontecer entre os dias 17 e 28 de agosto, digitalmente. Depois dessa fase, a ANTT vai apresentar uma primeira proposta de metodologia, que será submetida à consulta pública e à segunda rodada de reuniões participativas.

Quem tem medo da primarização logística?

Conceitualmente a primarização visa devolver ao controle da empresa embarcadora a contratação, gestão e operação direta de processos normalmente terceirizados. Ao primarizar assumindo a contratação direta as empresas automaticamente ganham autonomia e geram resultados superiores de produtividade, nível de serviço e negociações mais flexíveis e diferenciadas.

O maior benefício da primarização é financeiro, há possibilidades de economizar até 30% em transportes. Uma operação com times de alta performance, que emprega tecnologia digital contempla ainda mais benefícios. Essa redução só é possível ao utilizar aplicativos baseados em inteligência artificial, machine learning, business intelligence e internet das coisas.

FERRAMENTA DE GESTÃO PARA VOCÊ PRIMARIZAR A SUA OPERAÇÃO

'Como assim, abrir mão de fornecedores com quem trabalho há tanto tempo e me relaciono tão bem?'

Use a tecnologia a favor da primarização logística, fazendo a ponte entre sua empresa e transportadores e reduza em 30 a 40% seu trabalho e custos operacionais.

Saiba mais aqui como fazer e ter todo o controle da sua operação logística!

ESCRITO POR

Mariana Mitsui

Analista de comunicação voltada para redação e revisão, coordenação de assessoria de imprensa e formação de parcerias.