+1600 profissionais da logística usam o Fretefy.

Entenda aqui.
Notícias sobre logística

#News24 - Vazão logística, motoristas e menor frete

#24

Safra recorde: oportunidade ou dor de cabeça para o setor de transporte?

A safra recorde de grãos proporcionará volume maior de carga para ser transportada, mas problemas antigos de infraestrutura e os novos que surgiram com a pandemia criam gargalos e diminuem a produtividade da operação

03 de novembro de 2020

O agronegócio foi um verdadeiro herói para a economia brasileira em 2020. Se não fosse esse setor, o PIB teria despencado ainda mais por causa da crise da pandemia do novo coronavírus. A safra recorde de 257,7 milhões de toneladas de grãos produzidas no País abriu oportunidades para explorar o mercado doméstico e, principalmente, as exportações.

Por causa desse aquecimento, o setor de transporte rodoviário de carga foi um grande beneficiado da safra recorde. Os fretes para o agronegócio garantiram meses de bom faturamento para as transportadoras. Segundo o índice de fretes e pedágios da Repom, a demanda por frete rodoviário no agronegócio teve aumento de 9,5% de janeiro a setembro deste ano. Os caminhões com carrocerias graneleiro, usados para transporte de grãos, tiveram crescimento de 56% no período.

A Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab, divulgou que a produção de grãos deverá ser de 268 milhões de toneladas. O volume representará uma nova safra recorde e será cerca de 11 milhões superior a do ano passado. E, dessa vez, além dos antigos gargalos – como as longas filas de espera para carregar e descarregar a carga –, as empresas vão enfrentar os novos que surgiram com a crise do novo coronavírus: alta no preço do caminhão e de pneus, falta de motoristas qualificados disponíveis e fila de espera de até cinco meses para conseguir comprar um caminhão e implemento novo.

Para o presidente da Associação Nacional do Transporte, NTC&Logística, o que precisa ser resolvido com urgência é o velho problema de lentidão de carga e descarga de grãos, principalmente nos portos, o que reduz a produtividade do transporte e gera prejuízo. Nos próximos dias, a NTC se reunirá em Brasília com a Confederação Nacional do Transporte, a CNT, para discutir esse problema e desenhar um plano estratégico para ajudar a mitigar esse problema.

UMA SEMANA DE IMERSÃO NA NOVA LOGÍSTICA

O evento 100% gratuito e online LogConference é ideal para profissionais que buscam atualização, inovação, reconhecimento em sua área e evolução em sua carreira.

Em sua 3ª edição, temos o prazer de convidar você para fazer parte desta conferência com duas palestras diárias, às 9h e às 15h, de 09 a 13/nov.

Inscreva-se gratuitamente e fique atualizado para a logística do futuro!

NOTÍCIAS DA SEMANA

81% das empresas de transporte de cargas sentem falta de motoristas

De acordo com estudo do Instituto Paulista do Transporte de Carga (IPTC), 81% das empresas de transporte rodoviário de cargas de São Paulo e região percebem falta de motoristas no mercado. Dessas, 34% tiveram uma grande rotatividade de profissionais.

O órgão vinculado ao Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região (SETCESP) evidenciou que a falta de motoristas acarreta outra grande questão: veículos parados nas bases das empresas. Segundo a pesquisa, 38% das empresas consultadas apontaram que os veículos ficam estacionados por não haver profissionais capacitados para dirigi-los.

O IPTC mapeou mais de 500 vagas para motoristas na Grande São Paulo em aberto e o departamento de recursos humanos do SETCESP está fazendo a captação de currículos e repassando para as empresas.

Pavimentação de BR 163 diminuiu frete

O Boletim Logístico referente a setembro, produzido pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mostra que houve queda nos preços do frete rodoviário com a pavimentação de BR 163, importante rodovia para o escoamento do agronegócio.

Com a inauguração do trecho em fevereiro em Miritituba (PA) os custos entre Mato Grosso e o porto de Miritituba caíram até 11%. Isso porque a qualidade da rodovia estimulou o escoamento da safra de soja por este corredor em relação aos portos tradicionais de Santos/SP e Paranaguá/PR, que tiveram queda de 9%. Para se ter ideia da diferença, uma carga saindo de Sorriso (MT) e indo para Santos (SP) custou R$ 300 a tonelada. De Sorriso para Miritituba (PA), a mesma carga sai por R$ 170 a tonelada.

IMPORTAÇÃO EDI SEM PRECISAR DE APIS

Já imaginou reduzir em 30% os seus custos com importação de planilhas, digitação, correção de erros e gastos com chaves de sistemas?

O Fretefy acabou de desenvolver uma forma simples e acessível para integrar todas as informações das suas planilhas e de sistemas em um só lugar: o sistema online do Fretefy.

Dessa forma, você faz a gestão de todas as suas cargas de forma centralizada, organizada e muito mais rápido!

Fale com nosso consultor para economizar com as suas integrações!

1.6 mil profissionais de logística substituíram suas planilhas manuais pela automatização do Fretefy

SAIBA COMO AQUI
Gostou do artigo? Me ajude a compartilhar:
ESCRITO POR

Autora: Mariana Mitsui

Analista de comunicação voltada para redação e revisão, coordenação de assessoria de imprensa e formação de parcerias.

Junte-se a 11 mil inscritos para receber conteúdos sobre logística

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
Não enviaremos SPAM. Somente dicas de gestão, notícias e aprendizados