Whatsapp

 Solicite Demonstração

Operador logístico: como tomar decisões mais rápidas com 5 táticas

 

Para tomar decisões rápidas, você precisa organizar seu estoque de forma coerente. Isso significa um sistema que padronize os lotes do armazém e define prioridades para cada tipo de carga.

Além disso, foque em automatizar o máximo do processo possível e ter informações na ponta dos dedos para tomar decisões rapidamente e com confiança.

 

Confira abaixo 5 táticas para tornar seu operador logístico mais eficiente:

 

#1 Implemente a Curva ABC

 

Esse sistema organiza seu armazém conforme grau de demanda. Os itens no setor “A” são os mais requisitados e ficam em um local de fácil acesso.

Já “B” é uma área para os itens com demanda média e por fim “C” é uma área mais afastada dedicada para os itens menos solicitados.

 

#2 Utilize um software WMS

 

Imagine seu operador logístico mais inteligente, com um software que mantém um inventário em tempo real de todos os itens.

Trata-se do Warehouse Management System (WMS): o software confere códigos de barra, permite uma localização imediata de produtos e também avisa quando você precisa reabastecer.

O WMS é ideal para qualquer operador logístico que deseja se destacar na era digital. Ao contrário das planilhas, que podem ser suscetíveis a falhas ou até serem perdidas, o software sempre está atualizado e com as informações corretas.

 

#3 Organize-se com o método PEPS

 

Essa sigla significa “Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair”. Ou seja, os primeiros itens que chegam para o armazém são os primeiros a saírem para o transporte.

O PEPS ajuda você a gerenciar seu estoque e evitar a perda de itens. Por exemplo, não há risco de alimentos serem esquecidos e ficar com a data de validade vencida.

Fora isso, você evita que envie produtos novos por engano e deixa os velhos para trás. Esse erro pode prejudicar os lucros de um fabricante, pois os produtos velhos desvalorizam com o tempo e terão que ser vendidos por um preço menor.

 

#4 Fundamente decisões com KPIs

 

Os KPIs (Key Performance Indicators) são indicadores cruciais para saber o quão eficiente o operador logístico está sendo. Assim, é uma forma fácil, porém embasada estrategicamente, de averiguar performance e tomar decisões.

 

Confira três KPIs que você deveria medir na sua empresa:

 

Nível de serviço de entrega

Esse indicador é obtido calculando o tempo que demorou para a carga ser entregue, a partir do momento que é liberado para transporte. Você pode segmentar essa KPI por motorista, rota ou até região para realizar comparações de performance.

 

Índice de ocorrências

Toda vez que ocorrer um imprevisto, como avarias, extravios ou até devolução de produto, coloque nesse indicador. Assim, em vez de analisar caso por caso, você tem uma visão geral de todas as “ocorrências indesejadas” que acontecem na empresa e pode tomar decisões para evitá-las.

 

Percentual de cargas rastreáveis

Trata-se de uma porcentagem de cargas transportadas que são rastreadas via satélite. Quanto maior a porcentagem, mais segurança você oferece para seus clientes. O ideal é chegar o mais perto do 100% possível.

 

#5 Tenha um banco de dados

 

Implemente uma central de inteligência na sua empresa que além de analisar KPIs, faça um trabalho refinado de análise de eficiência em todas as etapas da sua operadora logística.

Um banco de dados online estratégico também inclui informações sobre o mercado a nível nacional e regional, fora o desempenho de seus concorrentes.

Embora exija a contratação de um colaborador especializado na área, uma central de inteligência garante produtividade de ponta e ainda abre as portas para a adoção de tecnologias como o Machine Learning, que pode realizar previsões por você baseados em experiências da sua empresa no passado.
 
 


Comments